Verônica





Luis Augusto não se conformava com o casamento de sua ex-namorada, Verônica, com seu irmão Rodolfo. Era muito difícil para ele ter que aceitar a traição, e agora três meses depois ele recebe um convite de casamento... Era muita falta de estima eles fazerem isso em tão pouco tempo. ''O que as pessoas vão pensar? Vou ser chacota de todos... Traído pelo próprio irmão e pela mulher a quem dediquei cinco anos de minha vida'', se questionava Luis Augusto...

Parecia que o tempo estava parado para Luis Augusto. Ele não queria aceitar o abandono, por mais que a situação fosse humilhante ele ainda amava desesperadamente Verônica. ''Ela é o amor da minha vida e prefiro morrer a ter que perdê-la... Mas seria melhor eu matá-lo... Sim, Rodolfo é o culpado de tudo, com ele fora do caminho poderei tê-la de volta... Ah, aquele verão que passamos juntos na praia... Ela adora o sol, fica tão bela... E o aniversário, o presente, a primeira vez que fizemos amor na chácara, as luzes de Paris... Os filhos que teríamos, as festas, meu filho se chamaria Pedro Luis, igual a meu falecido pai... Ou não, para agradá-la ele poderia se chamar Antônio, nome de seu pai... Quem sabe Luis Antônio, é um belo nome... Eu sabia que Rodolfo era uma ameaça... Mas ela me amava, mas por que eles...''. Pensava em estado de torpor Luis Augusto, tendo nostalgia de momentos que se passaram tão instantâneos como o sol cede seu lugar a lua todos os dias.

Mas sua decisão já estava feita. Rodolfo era o problema e ele, Luis Augusto, era capaz de resolver... Pois nunca deixaria a mulher que ama ser feliz ao lado de outro homem... Seu irmão nunca mereceu consideração nenhuma... Verônica não era a primeira namorada seduzida por ele... Mas Elizabeth foi uma paixonite de adolescente... Ele até perdoara, mas Verônica nunca... Era difícil esquecer o dia em que ela chegou para ele e disse que não poderiam ficar mais juntos porque se apaixonara por seu irmão, Rodolfo... Mais difícil ainda foi ela ter dito isso depois de Luis Augusto ter pegado seus traidores na cama... De seu quarto...

''Sei que foi ele quem a seduziu, enquanto eu viajava... Três semanas foram suficientes para Rodolfo conquistá-la... Ele sabia que eu voltaria antes do combinado, deve ter planejado tudo para eu pegá-los em flagrante... Vadia, não podia ter resistido? Podia sim... É tão culpada quanto ele, mas a justifico porque Rodolfo...''. Luis Augusto tinha devaneios, tentava se iludir, criar uma máscara diante de seus olhos para perdoar Verônica pela traição, e culpar o irmão... ''O grande culpado era ele''... Luis Augusto sempre odiou Rodolfo desde o caso de Elizabeth, nunca desconfiou que seu comportamento obsessivo e possessivo era o que tinha afastado suas ex-namoradas dele. Sua masculinidade, tão frágil quanto uma bolha de sabão, não lhe permitia tal conclusão.

***

Luis Augusto pegou o revólver e foi á igreja. No caminho repensava em tudo que cogitou na noite anterior. Chegaria á igreja, interromperia o casamento dando um tiro em Rodolfo... ''Não, um tiro não, três ou quatro para garantir, ele não pode sobreviver...''. Depois pegaria Verônica pelo braço, se ela se negasse ele a obrigaria a acompanhá-lo... Iriam ao heliporto e de lá seguiriam para outra cidade... País... ''Vou relembrá-la dos momentos felizes que passamos juntos... Dos nossos planos, de como nos amávamos...'', pensava Luis Augusto ao passar pela rua que dava a direção exata da cerimônia.

Ah, Verônica estava deslumbrante, linda como sempre fora... O vestido era longo, branco com detalhes em cedas... As rosas vermelhas, o cabelo tão belo descendo pelas costas do vestido... Ela sorria, parecia feliz... ''Mas como? Se o amor de sua vida sou eu'', pensava desesperado Luis Augusto ao encarar o irmão tão feliz quanto a noiva.

Quando o padre estava iniciando a cerimônia, o público entrou em apreensão, pois as declarações do sacerdote foram interrompidas por um grito que parecia sair da alma... De uma alma em prantos. Luis Augusto deteve o casamento, todos ali ficaram apavorados ao notar que o homem estava armado e parecia desequilibrado. ''Não haverá casamento, seus traidores infames, imorais, ah... Fui enganado por meu irmão, e por essa... Eu te amo Verônica, venha comigo, você...'', gritava Luis Augusto em prantos e lágrimas.

Não obteve o retorno esperado de Verônica que corre desesperada ao encontro de seu noivo... O revólver tremia em sua mão... Ele sabia o que tinha que fazer... Rodolfo precisava sair de seu caminho... ''Vou te matar seu infeliz, você irá pagar por tudo o que me fez '', pensava Luis Augusto. 

Nesse momento as cenas foram instantâneas. Ouvia-se do lado de fora da igreja o barulho de carro de polícia... As pessoas gritavam... Corriam... Padre Cândido tentou impedir o alvoroço dentro da casa de Deus e levou um tiro na cabeça... Foi nesse instante que Verônica e Rodolfo aproveitaram para fugir, mas foi em vão. Logo foram alcançados por seu algoz. ''Vocês não vão a lugar nenhum seus malditos miseráveis, eu quero Verônica para mim... e você seu desgraçado vai agora para o inferno''. O revólver tremia, sua mão tremia, ele por completo tremia e suava frio... Na hora em que o disparo é dado contra Rodolfo, em pleno pátio da igreja, ocorreu um fato inesperado para Luis Augusto, que o matou em vida. Verônica correu e abraçou o noivo, no qual a bala não atingiu... Mas sim, em sua noiva, que salvara sua vida e caiu, em seguida, morta no chão, ensanguentada, tendo o belo vestido branco maculado de sangue... Luis Augusto chorou, pois Verônica não lhe lançou nem um último olhar.


Lizandra Souza

12 Comentários:

Pedro Luis López Pérez (PL.LP) 29 de agosto de 2013 15:54  

Una Romántica y Dramática Historia magistralmente narrada...Me ha encantado.
Abraços e beijos.

Lizandra Souza 29 de agosto de 2013 16:03  

Obrigada Pedro *_*

também adoro seus textos, poemas e imagens!


beijos e abraços : )

Universo dos Leitores 29 de agosto de 2013 16:28  

Lizandra, amei! Romance no ar e uma escrita primorosa!
Parabéns...


Abraços, Isabela.
www.universodosleitores.com

Lizandra Souza 29 de agosto de 2013 16:48  

Obrigada Isabela...

*_* bjsssss

Beatriz Martín 31 de agosto de 2013 08:42  

Un relato hermoso y romántico amiga gracias por dejar huella en mi blog , un abrazo desde mi brillo del mar

Lizandra Souza 31 de agosto de 2013 10:46  

Obrigada também linda!

Beijos *_*

Fernando Pacman 2 de setembro de 2013 18:54  

Mais um texto lindo. Adorei sua forma de escrever.

Abraços
http://reaprendendoaartedaleitura.blogspot.com.br/

Lizandra Souza 3 de setembro de 2013 08:48  

Obrigada Fernando!

Abraços *_*

Anônimo,  3 de setembro de 2013 17:16  

gostei muito parabéns *---*

Inez 4 de setembro de 2013 12:27  

Wonderful twist at the end, xoxo.

Anônimo,  14 de julho de 2014 15:06  

Wow, that's what I was looking for, what a data! existing here at this web site, thanks admin of this site.


Here is my web site :: cão almofadas

Postar um comentário

Obrigada por comentar.

  © Loucuras e Devaneios by Liza

Design by Emporium Digital