Só queria dizer te amo...





No enterro 


No enterro, todos choravam, exceto o marido. Ele olhava fixamente a cova e não dizia nada. A morte foi vergonhosa, a mulher foi encontrada morta no banheiro dentro da banheira com o amante. Todos eram muitos solidários com Otávio pela tremenda fatalidade, alguns diziam que tinha sido melhor assim, Jerusa ''não prestava'', como se matara daquele jeito com o amante.

Algumas semanas antes do enterro

Otávio conheceu uma moça no trabalho e se apaixonou. Seus colegas diziam que Mônica era séria e que nunca tinha saído com ninguém do trabalho, exceto com as amigas... Otávio estava amando e sabia que só podia se aproximar de Mônica quando tirasse o estorvo de Jerusa do seu caminho. Foi então que ele teve a ideia: ''e se Jerusa se apaixonasse por outro?''.

O comprado

Otávio pagou cinco mil reais para seu melhor amigo, Yuri, para seduzir sua esposa.
Em duas semanas e quatro dias Jerusa já estava nos braços de Yuri. O que Otávio não imaginava é que o amigo era um salafrário, depois de um mês começou a chantageá-lo. Se Otávio não lhe desse cem mil reais, ele contaria para a sua mulher e para Mônica a armação deles. Otávio ficou desesperado... não tinha todo esse dinheiro. Por isso, decidido, Otávio planejou, armou e executou o crime.

O crime

Otávio disse que iria ficar no trabalho até tarde. Jerusa aproveitou para ficar em casa com o amante. Otávio sabia que sempre que ele ficava tarde no trabalho, Jerusa se encontrava com o amante em casa, pois Yuri fazia questão de lhe contar do banho de banheira. Quando Otávio chegou em casa escutou os risos dos ordinários, enfurecido pegou o revolver, entrou no banheiro e viu a mulher tomando banho de banheira com Yuri... De súbito apontou a arma e sem pensar duas vezes atirou. 

Os amantes ficaram lá, nus, mortos e ensanguentados. Otávio pegou a arma, limpou as digitais e a colocou na banheira. Pronto! ninguém iria descobrir o crime. Para disfarçar ele fez questão de chamar a polícia e logo todos ficaram sabendo que "a mulher tinha se matado com o amante na banheira de casa".

Sai hétero

Mônica apareceu no enterro de Jerusa para dar os pêsames ao chefe. Ela abraçou Otávio com intensidade. Ele adorou. Quando todos já estavam saindo, Otávio lhe disse: Mônica! espere, tenho que lhe dizer uma coisa. Ela olhou para ele franzindo a testa e perguntou: ''o quê''? Otávio disse que não se importava com a morte da mulher, que já não amava Jerusa e disse que quem ele amava era ela. "Eu te amo, Mônica", foi o que ele falou, emocionado, com a voz entrecortada.

Mônica olhou Otávio com perplexidade. A moça, pálida e sem graça disse: ''Otávio... eu vou me casar com Janis... do RH... eu sou lésbica... me desculpe Otá...'', ela o olhou e resolveu ir embora, eles já não tinham o que conversar. Otávio soltou uma lágrima, pegou uma rosa e a jogou sobre o túmulo da esposa. Agora ele se importava.

                                                                       

Lizandra Souza

4 Comentários:

Blog Cute Time 8 de outubro de 2012 09:48  

Oi flor!! Eu sou nova na blogosfera e queria que você me ajudasse a divulgar meu blog.
Também criei uma campanha Anti Plágio e conto com seu apoio!!!
Cute Time//Official

Lizandra Souza 8 de outubro de 2012 13:34  

Claro... Já estou seguindo seu blog. Ótima campanha!!!

Fran Borges 9 de outubro de 2012 11:06  

Oi Lizandra gostei muito do conto, ri com esse final. Você soube levar o leitor perfeitamente. Retribuindo sua visita e lhe desejando muito sucesso. Beijos

http://poesiasprosasealgomais.blogspot.com.br/

Lizandra Souza 9 de outubro de 2012 15:12  

Obrigada pela visita Fran, e muito sucesso para você também. bjsss.

Postar um comentário

Obrigada por comentar.

  © Loucuras e Devaneios by Liza

Design by Emporium Digital