Resenha: Orange (anime)


Nome: Orange
Formato: Anime
Episódios: 13 
Ano: 2016 
Estúdio: Telecom Animation Film 
Gênero: Drama, Romance, Shoujo, Vida Escolar, Sci-Fi 
Duração: 23 min.
Opening: Hikari no Hahen - Yu Takahashi
Ending: Mirai - Kobukuro
Classificação: +13
Disponível: no Youtube
Mangá: Leitura online ou download no Mangá Host

Já imaginou o que você faria se certo dia recebesse misteriosamente uma carta vinda do futuro escrita por você mesma dez anos mais velha para lhe alertar de decisões erradas que você fará e que lhe atormentarão pelo resto da sua vida? E se nessa carta tivesse instruções/dicas para você seguir no seu dia-a-dia para evitar grandes arrependimentos futuros... O que você faria? Seguiria caminhos opostos as decisões que normalmente você faria? Acreditaria ou ignoraria, afinal bem que poderia ser uma brincadeira de um amigo...? É a partir dessa situação hipotética que se desenvolve o enredo do anime que eu escolhi para abrir a coluna sobre #Animes aqui no blogue: Orange.

Aviso: a resenha contém spoilers.


Certo dia, Takamiya Naho recebe misteriosamente uma carta segundo a qual a remetente é ela mesma. Como está atrasada para ir à escola, Naho guarda a carta e só começa a lê-la em sala de aula, justamente quando o professor está falando da transferência de um aluno novo. Segundo as informações iniciais da carta, Naho, dez anos mais velha, foi quem a escreveu e a enviou do futuro para que ela realize um desejo seu, o qual, mais adiante, ficaremos sabendo que é salvar Naruse Kakeru, personagem que carrega consigo um grande conflito interno advindo de um drama familiar. Na carta há instruções para que a Naho-do-presente/passado não cometa certos erros ou decisões que marcarão sua vida para sempre e que lhe causarão grandes arrependimentos futuros. Naho inicialmente acha que tudo se trata de uma brincadeira até perceber que na carta há informações precisas de episódios que aconteceram, como o fato de ela quase se atrasar e de fatos em acontecimento, como a chegada de um aluno novo, citado por seu nome na carta, Naruse Kakeru. A personagem acha tudo muito estranho e decide ignorar um pouco as instruções até descobrir que seu ''eu do futuro" enviou a carta numa tentativa de salvar Kakeru que, se não for ajudado, não fará parte de seu futuro dez anos mais tarde, pois morrerá em breve.

A partir dessa descoberta, Naho tenta seguir as dicas da carta da Naho-do-futuro para tentar impedir a morte de Kakeru, a qual se dará por meio do suicídio do personagem caso ninguém consiga salvá-lo. Ao fazer isso ela e seus amigos, Hiroto Suwa, Takako Chino, Saku Hagita e Azusa Murasaka (os quais também receberam cartas, mas guardam segredo entre si até mais ou menos metade da história), se tornam grandes amigos de Kakeru e acabam compartilhando com ele bons (e maus) momentos, os quais terão forte influência na decisão de Kakeru sobre tirar a própria vida... 


Suicídio, depressão, culpa, amizade, amor e solidariedade são seis temas abordados no anime. O primeiro ainda é tratado muitas vezes como tabu, ainda mais cometido por jovens. Gostei muito da abordagem, pois foi feita de forma séria. Kakeru desenvolve depressão após sua mãe se suicidar, o garoto se culpa pela morte da mãe, pois ele acha que poderia tê-la evitado caso não tivesse preterido ficar com a mãe para sair com amigos da escola que acabara de conhecer, tendo, por isso, chegado mais tarde em casa e não podido evitar a morte da mãe. Naho e seus amigos têm, diante disso, que enfrentar muitas barreiras para conseguir livrar Kakeru de sua culpa e, consequentemente, de seu desejo de tirar a própria vida. Eles percebem que somente com muito amor, solidariedade e demonstração de amizade verdadeira poderão ajudar Kakeru a sair de seu drama interior.


Um elemento que eu gostei muito é o recurso aos tempos-paralelos ou mundos-paralelos que se configuram nas cenas que alternam os personagens no tempo-espaço. No anime, é abordada a teoria de que existem passados, presentes e futuros, em mundo paralelos, os quais co-existem, mas não se relacionam. Tais futuros são diversos porque são baseados nas múltiplas possibilidades e escolhas que as pessoas fizeram em seus passados e fazem em seus presentes, dessa forma, em cada espaço-tempo há um tipo específico de passado, presente e futuro resultantes das ações dos sujeitos. Dessa forma, a Naho do futuro sabe, por exemplo, que não pode mudar seu presente no seu tempo-espaço, mas pode, ao menos, mudar o futuro da Naho do passado com seu outro tempo-espaço em um mundo paralelo ao seu. O Kakeru que morreu para a Naho do futuro não voltará, pois esse fato já se cumpriu em seu mundo, porém o Kakeru da Naho do passado/presente ainda pode ser salvo e viver num futuro-paralelo. Sim, tudo muito louco e você só vai entender (ou não) ao assistir.

Os personagens centrais, Naho, Kakeru e seus amigos, são construídos de forma diversificada, cada um com uma personalidade diferente ou peculiaridade própria. É a diferença entre eles que faz com que cada um saiba ajudar Kakeru ao seu modo e, ao mesmo, em equipe. É interessante que cada personagem tem a oportunidade de amadurecer e desenvolver sua personalidade sem, para tanto, perder sua essência. 

Naho inicialmente é vista como a típica adolescente bonita, tímida e sensível, mas pacata/passiva, ela se apaixona por Kakeru, mas não sabe muito bem como lidar com seus sentimentos, porém ao longo da história ela consegue amadurecer e fortalecer sua personalidade, deixando um pouco sua timidez de lado e demonstrando ser uma garota forte e decidida. 

Kakeru, por conta da depressão, é um garoto reservado que aparenta dificuldade em se relacionar com os outros e fazer amigos, porém aos poucos vai se deixando conquistar e conhecer melhor pelos outros. Ele também se apaixona por Naho, contudo assim como a menina, têm dificuldades em expressar seus sentimentos. 

Suwa é um personagem muito lindo, divertido, extrovertido, simpático e com o coração do tamanho do mundo, não tem como não gostar dele, com certeza o maior altruísta que eu respeito. Apesar de ser apaixonado por Naho, Suwa decide apoiar seu romance com Kakeru, pois sabe que disso depende muito da felicidade de seu amigo. No futuro em que Kakeru não existe, Suwa e Naho se apaixonam, se casam e têm até um filho juntos, mesmo sabendo disso, o garoto decide eliminar essa possibilidade de futuro, pois prefere que no "próximo" futuro, Kakeru exista e seja feliz com Naho. Seu consolo é saber que em um mundo paralelo ele e Naho ficaram juntos. 

Saku é sério, introvertido e, as vezes, por conta de sua personalidade, parece demonstrar um pouco de apatia ou desinteresse aos fatos ao seu redor, o que é uma impressão errônea/superficial, pois na verdade ele é muito responsável e muito ajuda seus amigos na tarefa de salvar Kakeru. 



Chino e Azura são grandes amigas de Naho, a primeira é mais reservada e introvertida, mas sempre disposta a ajudar, a segunda é muito divertida e alegre, parece sempre estar de bom humor, ela realmente é muito alto-astral. Todos, por fim, desempenam papel muito importante e ajudam Kakeru a partir de suas perspectivas e vivências.

Opinião

Nota: 10/10.

Terminei de ver esse anime hoje, consegui assisti-lo completo em três dias. Terminei de assistir e senti uma necessidade grande de me hidratar (chorei muito sim) e de escrever sobre. A história é cativante, o romance é muito fofinho, o drama é de partir o kokoro, o suspense sobre o futuro de Kakeru acabou com meu psicológico e a solidariedade demonstrada pelas personagens me fez querer ser uma amiga melhor para minhas amigas e amigos e repensar nas vezes em que eu pude ter sido descuidada e talvez tenha deixado algum sinal ou pedido de ajuda disfarçado escapar... Mas o que mais me marcou foi a abordagem sobre as nossas decisões e culpas, sobre como muitas vezes fazemos escolhas equivocadas porque somos levadas por sentimentos egocêntricos ou como nos culpamos por coisas que não estão sob nosso controle ou que não podemos mais mudar.

Uma coisa que me deu muita raiva foi as personagens não lerem a porra da carta de uma vez, mas só pedacinhos por dia, me deixando assim no suspense. Gente, você recebe uma carta do futuro e a vida de um amigo está em jogo, o que você faria? Na lógica de Naho e de seus amigos você lê um trecho que corresponde ao dia-presente, ao invés de ler a porra toda de uma vez. Meu inconsciente não quer saber se esse recurso fez parte da construção e desenrolar do enredo. Ponto!

O desenho é lindo. A estética/arte é muito bonita, gostei muito dos traços das personagens. Dá vontade de ter um bonequinho de pano de cada personagem. A trilha sonora me agradou muito, sobretudo a opening/abertura, a qual deixo abaixo para finalizar o post de hoje.




Lizandra Souza.

0 Comentários:

Postar um comentário

Obrigada por comentar.

  © Loucuras e Devaneios by Liza

Design by Emporium Digital