Edward Hopper, o Pintor da Solidão

Automat  (1927) - Edward Hopper


***



Nome completo: Edward Hopper
Nascimento: 22 de dezembro de 1882; Nyack (Nova Iorque)
Morte: 15 de maio de 1967 (84 anos); Nova Iorque
Nacionalidade: Americano (USA)
Ocupação: Pintor     
Movimento estético: Realismo, Modernismo 
Escola/tradição: New York School of Art

 Edward Hopper foi um pintor, artista gráfico e ilustrador americano que ficou conhecido por suas pinturas que representam com realismo a solidão humana no contexto estadunidense no início do século XX. 
  Sua obra mais conhecida é Nighthawks - Aves da Noite - (1942). A pintura mostra pessoas sentadas, de forma isolada, em um balcão de restaurante. 

Nighthawks (1942)

  Hopper revela em sua obra um olhar subjetivo e impactante sobre a forma de vida moderna americana (daquela época). Muitos de seus quadros mostram paisagens e arquiteturas urbanas (desertas e/ou melancólicas), paisagens rurais (boa parte destas com cores fortes, tempo bom, não simbolizando mudança de tempo ou cores sazonais), e marinhas (paisagens marítimas puras). O que gera certo teor perturbador de mistério, solidão, depressão. 

Early Sunday Morning (1930)

House by the Railroad (1925)

The Lighthouse at Two Lights (1929)

Road in Maine (1914)

The Long Leg (1935)


Gas - (1940)

Office in a Small City (1953)

Chair Car (1965)



  A maioria das figuras retratadas parecem estar tristes, apáticas, entediadas, ou ainda,  desoladas, angustiadas por um vazio, interior ou exterior, um vazio que remete a um silêncio e a uma inércia intimidantes. As figuras pintadas são individualistas, e mesmo quando há mais de uma figura em uma mesma tela a ideia de interação é mínima. Há também uma utilização frequente de um jogo de cores, ora de tons suaves/claros, ora com tonalidades fortes/intensas, o que pode causar um impacto visual e/ou psicológico.

Summer Interior (1909)

Chop Suey (1929)

Summer in the City (1950)



 Morning Sun (1952) 

  Edward Hopper mostra de forma inquietante a interiorização do isolamento do homem, na medida em que este parece estar, por vezes, preso dentro de si próprio e não, necessariamente, isolado da civilização.
  O pintor retrata em suas telas seu ponto de vista sobre a vida cotidiana das pessoas e de sua solidão, seja ela em ambientes rurais ou urbanos, externos ou internos, assim, representa uma solidão que pode estar dentro ou fora de nós, com uma obra artística que vai do Realismo (com influências) à Pop Art.

REFERÊNCIAS/IMAGENS/PESQUISAS






Lizandra Souza

9 Comentários:

Mario,  24 de março de 2014 18:20  

Não conhecia esse pintor, gostei das telas... intensas.

Tiago André Vargas 26 de março de 2014 10:41  

Muito bom Lizandra. Hopper me emprestou uma de suas telas para fazer par com um poema que escrevi: http://tiagoav.blogspot.com.br/2013/12/seolhar-seuolhar.html

Lizandra Souza 26 de março de 2014 11:20  

Adorei o jogo que você fez com as palavra em seu poema, Tiago!

Edlaine Fernandes 26 de março de 2014 12:36  

Oiee..
Super legal esse post seu, porque eu era super curiosa para saber o autor da obra Nighthawks, porque está nos computadores aqui do meu estágio e eu não sabia de quem era çç
Mas agora eu sei o/

Beijos da Edi
Parte de Minha História
Twitter
Instagram

Lizandra Souza 26 de março de 2014 13:08  

Que bom que te ajudei a 'conhecê-lo' Edi
rsrsrs

Mariana Siqueira 27 de março de 2014 08:07  

Oi Li,
Eu não conhecia o pintor, mas já me apaixonei por suas obras.
Eu gosto do isolamento e me identifiquei com muitos dos quadros que você colocou no post, sem contar as paisagens lindíssimas. Gostei muito de poder conhecer mais *-*'

Beijos ;*
Mari Siqueira
http://loveloversblog.blogspot.com

Simeia Silva 27 de março de 2014 08:32  

Adorei as telas, mas não conhecia o artista.
bjs

Diego P. Martins,  28 de março de 2014 11:40  

Muito legal, gosto muito de pinturas, artes.

Postar um comentário

Obrigada por comentar.

  © Loucuras e Devaneios by Liza

Design by Emporium Digital