O Vampiro da Meia-Noite - Cap.1 Cuidado com o vampiro!


  
 Ninguém nunca acreditou no verdadeiro motivo do sumiço de Pandora, minha irmã, dois dias antes de seu casamento. Eu contei a verdade para nossa família, mas ninguém acreditou. Todos pensavam que eu estava louca.
 Ela iria se casar com Fernando Macedo, médico de vinte e nove anos. Fernando a amava muito. Ele era gentio, carinhoso, educado e muito bonito: cabelos e olhos castanhos, pele branca bronzeada, alto e forte, mas sem muitos músculos. Ele não é de uma beleza excepcional, digna do personagem principal dessa trama, mas era muito bonito.
 Na época do casamento, Pandora tinha vinte e quatro anos, era muito inteligente, tinha verdadeira adoração pela literatura, filosofia e artes em geral, amava dar palestras e seminários, se eram sobre livros, minha irmã sabia sobre vários clássicos, se eram sobre grandes filmes e peças teatrais, ela sabia fazer apreciações dignas dos grandes doutos, porém sem arrogância de espírito. Isso tudo tornava sua companhia muito agradável. Ela era muito bonita também... era alta e assim como Fernando tinha a pele bronzeada, um pouco mais que a dele... cabelos médios cacheados e castanhos cor de mel, olhos de um azul esverdeado bem escuro. Eram bonitos, mas as vezes pareciam estranhos porque não eram de uma cor definida, variavam entre verde e azul.
 O casamento seria na Transilvânia, dentro de mais ou menos dezoito dias. Pandora, Fernando, Nicole, nossa irmã do meio, Lívia e Álvaro, irmãos de Fernando, e eu viajamos para a Transilvânia uns quinze dias antes do casamento, para passearmos pelo lugar, o resto da família viajaria três dias antes da cerimônia, pois os preparativos do casamento estavam por conta de uma empresa especializada, contratada por Fernando.
 Já estava quase de noite quando chegamos à Transilvânia, assim, nós fomos direto para um hotel. Como nós estávamos cansados, decidimos começar o turismo no dia seguinte, contra o gosto de Pandora.

--- Não acredito que vocês vão fazer isso comigo, eu conheço a Transilvânia, esqueceram que eu já fui guia turística daqui e... Falava Pandora quando foi interrompida por Fernando.
--- Não insista meu amor, já está ficando tarde, amanhã nós iremos para os locais que você quiser visitar.

 O que ninguém poderia imaginar é que Pandora não atendeu ao pedido do noivo e saiu sozinha àquela noite. Ela queria passear, ver a região, quem sabe ir ver o castelo de Bran? O taxista a deixou em frente ao museu/castelo depois de uma hora de viagem. O que desanimou Pandora foi uma ligação de Fernando dizendo que eles iriam jantar juntos dentro de duas horas no restaurante do hotel.
 Pandora ligou para o taxista voltar e ficou esperando na parte de fora do castelo, sentada em um degrau da calçada. Foi então que ela viu um vulto nas ramificações das plantas ao seu redor.

--- Quem está aí? Perguntou minha irmã.

 Não recebeu retorno, Pandora decidiu ir procurar atrás das plantas, porém o táxi chegou ao mesmo momento. Ela foi ao encontro do motorista. No caminho Pandora não tirava da cabeça o vulto que viu, parecia a sombra de uma pessoa, que por sinal a estava vigiando. Porém acabou concluindo que poderia ser uns dos guardas do local ou outro visitante inesperado como ela.  
 Estávamos todos na mesa, fazia vinte e cinco minutos, até que Pandora apareceu, ela deu a desculpa de que acabou dormindo um pouco e perdeu a hora. Todos pareciam acreditar, ela tinha a aparência cansada e o vestido preto que ela usava era o mesmo da chegada. A noite foi muito agradável, a comida estava ótima, o lugar oferecia uma boa música de fundo e tudo era extremamente confortável.

--- Quem for me acompanhar amanhã ao Castelo de Bran... deve acordar cedo, pois sairei daqui oito horas. Falava Pandora com a voz arrogante.
--- Mas por que tão cedo Pan? Perguntava Lívia.
--- Cedo Lili? As portas se abrem mais ou menos nove horas, as escadas... são muitas... e eu quero passar o dia todo, tirar fotos, enfim, me divertir. Respondia Pandora, chateada.
--- Também não precisa se chatear, amor, falava Fernando, nós iremos cedo.
--- Não, não, muito cedo é ruim, chato, cansativo! Exclamavam todos os que ainda estavam calados.

 Ficou decidido que Fernando, Pandora e eu iríamos às oito horas ao Castelo de Bran e que os outros, como não conheciam o lugar, esperariam por Fernando para buscá-los um pouco mais tarde.  Depois da pequena discussão todos fomos dormir.


***

Continua!



Lizandra Souza

1 Comentários:

Lola Mantovani 17 de abril de 2013 10:28  

Adorei o Cap.1, Adorei a personalidade da Pandora, mais uma persongem forte.
beijos

Postar um comentário

Obrigada por comentar.

  © Loucuras e Devaneios by Liza

Design by Emporium Digital