Capítulo 11 de Fim de Semana Mortal: A primeira aventura de Emily Park


     Ele acordou. Eu estava comendo umas bolachas e um refrigerante de uva, que por sinal estava vencido igual ao outro. Ele pediu que o soltasse, prometeu que me deixaria fugir, que faria o que eu quisesse. Eu cuspi na cara dele e disse que agora eu é que conduzia o jogo. Peguei um carro de mão que estava nos fundos da casa, cheio de pedaços mutilados de cadáveres, joguei-os fora e, para a surpresa de Felix, o mandei entrar.


Ele não queria. Eu peguei um machado e disse que partiria sua cabeça ao meio. Ele não acreditou. Eu então dilacerei sua mão esquerda, o fazendo agonizar de dor e desmaiar. Com muito esforço eu consegui colocá-lo dentro do carrinho. Fui empurrando até o lado de fora da casa.

Voltei ao acampamento, peguei o carro de Mel, dirigi até onde pude chegar mais perto do local onde estava Felix, depois fui á pé, peguei o carrinho de mão e levei-o até o carro. Coloquei Felix todo ensanguentado, no porta-malas, que era grande e o coube sem esforços, e o fato de lhe faltar uma perna me ajudou bastante.

Entrei no carro. Eu ia para casa. Ah, minha casinha, há quantos dias, eu não sabia há quanto tempo estava em Foxville. Minha sorte é que o carro era preto, blindado. Não dava para ninguém me ver. Minha casa ficava num bairro muito elegante e lotado, então decidi que ao voltar para minha cidade, eu iria para um sítio-fazenda que eu tinha, lá morava um casal de velhos, meus tios. Eles cuidavam do local.

Meu único problema seria a maneira de como me livrar deles. Eu resolvi ligar e dizer que eles se afastassem do sítio umas semanas, que eu precisava do local para fazer umas coisas. Eles estranharam, mas foram para a casa de uma filha numa cidade próxima. Eu passei três dias no carro, esperando eles saírem. Não foi difícil esperar, eu estava acostumada a ter paciência, e o carro era mais confortável que a reserva.

Quando finalmente eles saíram, eu fui até lá. Felix estava acordado, mas agonizava de dor. O braço dele estava muito roxo, tinha infeccionado. Ele pedia que o matasse logo para a dor passar. Eu ria e dizia que aquilo era só o começo. Ele não conseguiu andar até o quarto, assim tive que levá-lo no carrinho de mão, lá o deixei deitado e amarrado na cama. Ele estava mais horrível que nunca. Eu fui para meu quarto e lá me olhei no espelho. Os ferimentos no meu rosto estavam horríveis, porém o inchamento havia diminuído. Eu sabia que com dinheiro, que eu tinha, eu conseguiria uma boa plástica e ficaria bonita outra vez. Mas eu não queria mudar naquele momento, doutor... Eu precisava ficar assim para lembrar o que sofri. Era difícil esquecer.  Eu era a única sobrevivente.

Tomei outro banho. Vesti umas roupas minhas. Uma calça preta e uma blusa vermelha. Eu peguei o telefone e liguei para Estevão, ele era o irmão mais velho de Josh. Já estava na hora de alguém saber de tudo para me ajudar. No telefone, Estevão parecia feliz e ao mesmo tempo preocupado ao falar comigo.

---Emily, o que aconteceu com vocês, faz quase um mês que não tenho notícias, como em um fim de semana vocês desaparecem assim? Eu não chamei a polícia de imediato porque não sabia o lugar, mas essa semana já dei queixa.
--- Estevão... eu... não faço ideia de como te contar. Mas...
---Mas o que Emmy, me deixa falar com Josh.
---Você nunca mais vai falar com Josh...
---O quê? Emmy, não brinque.      

Eu comecei a chorar desesperadamente. Falar com outro ser humano, escutar sua voz, era para mim um milagre.

---Estevão, nós sofremos um... eu não posso falar por telefone.
---Emily, você está me assustando, por favor, não brinque.
---Escuta seu tolo, você acha que esse sumiço de cerca de um mês foi à toa? Deixe de ser idiota e venha ao meu sítio no interior da cidade. Você já conhece. Amanhã te encontro. Ah, venha preparado, pois você verá dois monstros.
---Emily espere... Emmy?

Eu desliguei. Agora vou esperar a sorte. Estevão tinha que vir. Ele gosta muito do irmão e está preocupado. Ele era a pessoa que eu precisava para minha vingança, eu nunca havia matado ninguém, mas Estevão já. Por legitima defesa, mas já... então caso eu vacilasse... No quarto ouvi um barulho. Era Felix gritando de dor. Eu fui até ele com um vaso de água que havia deixado no fogo por duas horas e joguei nele. Ele amaldiçoava-me e eu ria. Ria porque ele era um fraco, por que ele queimava pessoas vivas e eu só estava mostrando um pouco a dor que ele fazia multiplicada nas pessoas.

Eu estava louca.


Continua!


Lizandra Souza

12 Comentários:

CarolCanal 16 de janeiro de 2013 07:17  

Muito leal seu blog, preciso voltar pr aler os outros textos!! Parabéns, vc escrve muito bem!
Ja te sigo!
contemrimel.blogspot.com.br
Beijokas

Lizandra Souza 16 de janeiro de 2013 08:15  

Oi Carol, obrigada por seguir e pelo elogio, volte sempre querida.
Beijo *_*

Lola Mantovani 17 de janeiro de 2013 09:09  

Nossa estou ficando com medo da Emily, agora é só esperar pela chegada do Estevão é ver o que via dá.
beijos

Livroterapias 17 de janeiro de 2013 09:36  

Oi!
Imprimi para ler em casa, pq to no trabalho agora!
=)
Beijos
Rizia - Livroterapias
http://livroterapias.blogspot.com.br

Lizandra Souza 17 de janeiro de 2013 09:38  

Oi Lola, eu também, sabe que eu perdi a noção e estou fazendo a mocinha virar do mal. U..U OBRIGADA PELA VISITA FLOR, BEIJOS ; )

Lizandra Souza 17 de janeiro de 2013 10:10  

Oi Rizia, espero que goste, obrigada pela visita. Beijo ; )

Alana Almeida 17 de janeiro de 2013 16:59  

Da uma olhadinha no meu blog? Se gostar segue que eu sigo de volta ;) www.feitodechocolate.com

Lizandra Souza 17 de janeiro de 2013 17:12  

Oi Alana, vou lá dá uma conferida ; )

Esmalte Atrevido 18 de janeiro de 2013 05:31  

Lizandra mulher, o negócio ta pegando fogo aqui... kkkkkkkkkkk
Adorooo, será que o carinha vai até o sítio?? Afff já imagino o desespero qd ele ver a Emily..
Amiga responde lá pelo meu blog porque depois eu me perco aqui, por favor...
É vc quem cria essas histórias??
Se for, parabéns viu, vc é uma ótima escritora...
Te desejo um ótimo dia amiga, um beijo, Ariana.
http://esmalteatrevido.blogspot.com.br/

Lizandra Souza 18 de janeiro de 2013 08:07  

Oi amiga, tá pegando fogo mesmo rsrsrs, vou lá sim responder, ah é eu que escrevo essa novela, que bom que gosta, muito obrigada pelo elogio, também te desejo um belo, ótimo e lindo dia. Beijão.

Naylane Sartor. 18 de janeiro de 2013 09:08  

Tem um meme para vc la no blog so nao sei quando vou postar ele, mas vc esta indicada bsj.
www.resenhasteen.blogspot.com

Lizandra Souza 18 de janeiro de 2013 10:14  

Oi Naylane, obrigada, assim que você postar vou lá pegar. Obrigadão querida ; ) Beijos.

Postar um comentário

Obrigada por comentar.

  © Loucuras e Devaneios by Liza

Design by Emporium Digital